Pesquisar nas cartas

segunda-feira, 13 de maio de 2013

O início

Como tudo começou...

Eu meu amor nos conhecemos na época da faculdade, estudamos no mesmo local mas não nos conhecemos lá. No ano que passei no vestibular ele já estava formando.

Nos conhecemos pela internet e passamos muitos meses trocando mensagens no celular (mesmo morando na mesma cidade), descobrimos que nossas famílias se conheciam e até mesmo o pai dele já havia sido chefe da minha tia...

Eu tomei a iniciativa de marcar um encontro e arriscar... Eu sentia que ele seria doce e honesto como deixava transparecer nas nossas conversas virtuais. Não me enganei quanto a isso!

Desde o primeiro encontro, não paramos mais de sair juntos, ainda assim foi só no terceiro encontro que aconteceu o primeiro beijo e começamos a namorar. Combinamos que esse seria o nosso segredo de casal, jamais contaríamos para alguém que nos conhecemos na internet... Agora vocês sabem!!! rs

Sempre que perguntam, nós nos limitamos a falar que foi na faculdade, ponto.

E lá se vão 10 anos de relacionamento, completados agora em abril!
Desses, 4 anos de namoro, 6 anos de casamento, agora em dezembro completaremos 7 anos de muita cumplicidade, amor e parceria!!! Obrigada Deus!

Quando casamos, em 2006, confesso que não pensava muito na maternidade, tinha acabado de me formar, estava ainda sem posição no mercado de trabalho e meu marido, que sempre teve um emprego legal, segurava a onda direitinho.
Resolvemos que eu iria priorizar a profissão antes de termos filhos.

Não fui criada para ser dona de casa! Meus pais sempre trabalharam fora e lutaram muito para proporcionar uma boa educação pra mim e minha irmã. Sentia, além das minhas vontades, que não poderia decepcioná-los! E assim o fiz!

Moramos em Brasília, e aqui é a cidade dos serviços públicos, todo mundo faz concurso e eu entrei para esse time em 2010.

Nesse mesmo ano, comecei a prestar mais atenção em mulheres grávidas na rua, morrer de amores pelos filhos das amigas e parentes e minha vó, já bastante debilitada, sempre me perguntava quando eu iria dar um bisnetinho para ela!

******Aqui, faço uma breve colocação: esse pedido da minha vó materna era muito especial e me sensibilizou bastante porque eu fui criada por ela. Enquanto minha mãe estava no trabalho, eu passava o dia inteiro na casa deles (meus avós e meus pais moravam na mesma rua). E apesar, de ela ter muitos bisnetos, filhos dos meus outros primos, nossa ligação era extremamente forte! E eu sempre buscava atender seus pedidos! Quem foi criado perto dos avós sabe o que significa essa relação!!! Mas, infelizmente, minha vó faleceu no final desse mesmo ano e eu sonhei muitas vezes com ela falando sobre isso!********

No começo, tive que enfrentar a resistência de marido para parar de tomar a pílula. Ainda não estava estabilizada no emprego e morávamos num apartamento muito pequeno, seria difícil acomodar o bebê naquele espaço.
Mas Deus me deu força para esperar e no começo de 2011 ele começou a achar que já era a hora de ser papai!
Mudamos para um lugar maior e eu passei num concurso bem melhor que o anterior. Foi Deus organizando a nossa vida para a chegada do nosso grande sonho!

No começo de 2012, procuramos ajuda médica para saber se estava tudo certo. Fomos liberados para as tentativas e tínhamos 1 ano para engravidar, caso não desse certo, voltaríamos para ver o que estava atrapalhando.
E assim fizemos, o ano de 2012, foi de muita expectativa, ansiedade (essa nunca me abandonou) e todos aqueles sentimentos que permeiam essa espera.

Não conseguimos.

Procuramos ajuda especializada, muito bem indicada por sinal, mas agora, em maio de 2013, depois de 2 namoros programados e uma Inseminação Intra-uterina, o ninho ainda está vazio...

Resolvemos mudar de médico, e estamos esperançosos que a D. Cegonha finalmente realize a nosso pedido!
Deus já abençoou!

Peço a Nosso Senhor Jesus Cristo que frutifique o meu ventre e envie logo nosso presente especial!!!

Um comentário:

  1. Olá Mmaria, nao entendi bem qual o motivo de vcs precisarem de ivf. (se vc nao se sentir confortavel pra responder pode ignorar a pergunta) :)

    ResponderExcluir