Pesquisar nas cartas

sábado, 22 de junho de 2013

O que esperar quando você não está esperando, ainda...

Olá fofoletes!

Beleza?!

Os dias que se seguem depois dos tropeços dessa vida de tentante são os mais esclarecedores, do ponto de vista do auto-conhecimento... Como podemos ficar, num dia, despedaçados com mais um golpe do destino, e depois de muita lágrima derramada, imaginar que boas notícias ainda estão por vir?

Essa semana, que acaba hoje, trouxe algumas lições e outros medos e angústias...
Ao mesmo tempo que procuro fé, às vezes bate um medinho de não conseguir, sabe?!
Olho o calendário, penso na vontade de ter os pequenos correndo pela casa (sim, eu já penso em todos eles juntos), conto os dias, animo e recomponho a minha esperança e a perseverança também, mas ali no fundo, ainda persiste essa incerteza...

O que costumo fazer pra deixar esse baixo astral longe de mim é ler, ler muito. Consumo todo tipo de leitura e informação! Leio sobre gravidez, sobre parto, sobre tratamentos... E também, sobre o assunto que mais gosto e perco horas... Blogs de mamães e seus lindos filhotes! A.do.ro!!!! Eu me encanto com as histórias, com os desafios e até choro com alguns relatos!
Antes, eu ficava pensando sobre a facilidade dessas mulheres para engravidar, a simplicidade de conceber, a naturalidade de criar os filhos e ainda compartilhar, lindamente isso conosco. Por que não podia ser assim comigo também?

Revendo minha vida, lembro de quantas vezes eu falei, por pura falta de maturidade, que não queria ter filhos... No auge dos meus 20 anos, eu queria conhecer o mundo, eu queria ter independência financeira, ser dona da minha vida... Esse era o meu conceito de felicidade! Quem nunca?

Mesmo sendo meio piegas, foi só depois de me apaixonar pelo meu marido, há mais de uma década, que vi que felicidade mesmo é amar e ser amada... Que tudo que eu queria e lutava pra ter não valia de nada se o que importava era ser feliz, simples assim! Ficava imaginando como as pessoas vão tendo filhos por aí, sem estabilidade financeira, sem viajar para os lugares que eu considerava legais...Tudo besteira!

A gente pode fazer tudo isso, trabalhar bastante, fazer aquela especialização, viajar, ir ao cinema e ter filhos, assim mesmo, tudo ao mesmo tempo! #alouca Você deve estar agora se perguntando: oxe, garota doida, e não é pra ser desse jeito sempre, não?

Eu não pensava assim, perdi tempo!
E quem me abriu os olhos foi meu pai!!! Disse ele: Filha, a vida não acontece como uma fila indiana... Aproveite as oportunidades como elas se apresentam a você...
Eu achava que pra tudo dar certo, eu tinha que fazer uma sequência de ações... Uma coisa de cada vez! Que chato, não?! É, eu sei, agora...

É por isso que estou vivendo aproveitando tudo, tudo o que a vida me oferece, inclusive os obstáculos, nessa luta em busca da maternidade... Nem por isso, fico aqui na passividade da minha poltrona de patchwork!!! Não!!!

Mas há momentos de esperar, há momentos de acalmar a alma e o coração e se preparar para o melhor chegar! Estou numa dessas pausas! Espero passar por mais essa com muita tranquilidade!
Enquanto espero há um mundo cheio de grandes e outras oportunidades lá fora.
E os medos? Esses estarão sempre por aqui... Só serão outros, em fases diversas. Só me resta aprender a lidar com eles da melhor forma.

Espero que dessa temporada eu leve só o que há de bom e fortalecedor!
Que eu leve mais fé em Deus! E mais confiança nas minhas escolhas.
Que eu esteja sempre mais alegre do que deveria, que a tristeza passe longe da minha casa.

Agradeço às mamães, às grávidas e às outras meninas tentantes que postam e compartilham suas aventuras e desventuras aqui conosco!

Alegriaaaaaaaaaaaa, volte minha filha, cansei de chorar!

Beijos e bom domingo!

6 comentários:

  1. Oi flor!

    Eu também passo por estes momentos que vc descreveu! Sou tentante e estou no quinto ciclo. Mas acredito que este mês eu estou mais serena, mais equilibrada. Aparentemente conceber não é tão fácil quanto eu imaginava mas não quer dizer que não vá acontecer. Eu ainda estou dento do período considerado normal pelos médicos, entçao consegui me convencer que não tem porque eu ficar tão ansiosa e tão triste quando não acontece. Eu quero tentar curtir este momento, pensar no meu filho, imaginar tudo aquilo que eu quero pra ele, tudo aquilo que eu quero passar pra ele, isso também é muito gostoso e eu não quero mais deixar que a angústia e o medo levem estes momentos de mim! :)

    Beijão!

    Laura
    http://contandodiasparatervoce.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Laura,

      Às vezes, é complicado ficar tranquila e serena quando a espera já completou mais de 1 ano... Tento não me preocupar muito com o tempo...

      No dia que eu escrevi este post estava mais pensativa pq eu havia menstruado e isso me deprime...

      Mas agora estou mais firme e seguindo sempre com fé.

      Bjos

      Excluir
  2. MMaria que bom saber que está mais tranquila, mais serena =), seu pai está certíssimo!
    Bjuss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Má,

      O mais incrível é que os pais sempre tem razão, né?!

      Bjssss

      Excluir
  3. Eu tb já tive esses pensamentos e mesmo qdo casei queria esperar uns 5 anos para ser mãe, mas o sentimento materno falou mais alto e a vontade bateu forte... e quantas vezes após um negativo não me culpei pelos pensamentos que tive no passado!

    Amei esse seu post, legal ver que está tranquila!!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sú,

      Eu tento ficar tranquila... Na maioria das vezes, eu consigo, rs...
      Fico muito vulnerável quando menstruo, sinal dos hormônios e da instabilidade emocional de não ter sido desta vez.

      Que bom que gostou do post!

      Bjo <3

      Excluir