Pesquisar nas cartas

segunda-feira, 8 de julho de 2013

E o Tentante?!


Hoje o post será diferente.
Aqui em casa costumamos dividir tudo, inclusive as angústias e conflitos dessa temporada de espera.
Pedi ao maridão, que escreve muito bem, falar sobre isso, afinal eles (os tentantes) também sofrem quando o filhote não vem!
Não editei absolutamente nada, nem o título, que foi dado pelo autor.
Espero que gostem!

<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3


Há alguns dias a administradora do blog, que por sinal é minha esposa, me pediu para escrever um pequeno texto sobre minha visão deste processo de geração de nosso filho, as impressões que tenho.
Confesso que fiquei um pouco apreensivo, pois não é nada fácil colocar em forma de palavras algo que não se pode mensurar, um sentimento único. Alguns podem pensar que isso seria uma desculpa para não escrever, afinal o amor não é quantificável, mas podemos perfeitamente escrever páginas e páginas sobre ele. Isso é verdade, mas também devemos reconhecer que o processo de geração de um filho, sobretudo quando é o primeiro, é algo único, são sentimentos totalmente novos que sequer imaginávamos que pudessem existir.
Primeiro gostaria de fazer uma pequena reclamação. Desde quando decidimos ter nosso filho, passei a pesquisar mais sobre tudo relacionado a isso e, todos sabem que a internet é povoada de sites que falam tudo de gravidez, desde o primeiro dia até a hora e depois do nascimento da criança. Mas, a imensa maioria dos sites, sejam aqueles que falam do dia a dia da gravidez ou mesmo aqueles que dão dicas para quem estar tentando engravidar (as famosas “tentantes”) tem o foco quase que exclusivo na mulher, parece que esquecem que sem o homem não tem nada feito. Essa é minha reclamação: o homem também é um tentante! Também temos nossas frustações, nossas angústias e nossas alegrias! Atenção mulheres, olhem um pouco mais para os homens, não nos vejam apenas como acessórios nesse momento tão especial para o casal. No meu caso, tenho que reconhecer que minha esposa sempre procurou ver o meu lado e sempre dividimos tudo, notícias boas e ruins.
Falando agora como um tentante, posso dizer que esse processo todo para geração do nosso filho tem sido completamente surpreendente. Tenho que avisar que os sentimentos masculinos são muito diferentes do feminino, afinal não é sempre que vemos uma propaganda que tem uma criança sorrindo ou uma roupinha de bebê e ficamos emocionados, mas, não é por isso, que nossos sentimentos são inferiores, apenas são diferentes. Homens são mais práticos, menos sentimentais, mas com sentimentos.
Acho que todos que encampam essa ideia de ter um filho sempre pensam que tudo acontecerá rapidamente, é só deixar a natureza agir, ainda mais quando lembramos no nosso tempo de namoro, quando o pavor de quase todo homem é engravidar a namorada. Por isso pensei que, assim que a minha esposa deixou de tomar o anticoncepcional, a gravidez viria rapidamente. O que não é a ignorância... Depois que passei a pesquisar mais sobre gravidez, vi que aquelas pessoas que engravidam por descuido são realmente muito azaradas, nos dias de período fértil as chances são de 18%!!! Assim, sortudos são aqueles que conseguem engravidar logo que param de evitar.
Passados alguns meses de tentativas, vamos deixar claro que a prática estava sendo feita sem nenhum acompanhamento médico, o resultado tão esperado não chegou. Via que cada tentativa frustrada era uma enorme decepção para minha esposa, eu também ficava triste, mas sempre procurei dar meu apoio, sempre com o pensamento positivo que logo iríamos gerar nossa criança.
Com o passar do tempo, agora com o acompanhamento médico (que mais para frente se revelou completamente equivocado), passei a ficar apreensivo com a situação, pois, depois de muitos exames, cujos resultados não apontaram qualquer fator que fosse um impeditivo para a gravidez, o resultado não chegava. Nesse momento passei a sentir mais a pressão por tudo, mas como falava pouco sobre esse sentimento com minha esposa, tentei aguentar calado. Grande equívoco. Somos homens, mas somos seres humanos e temos sentimentos, quem absorve pressão é amortecedor! Foi nesse momento que tive uma conversa com minha esposa e dividi tudo que estava sentido, pois ela pensou que, por eu não falar muito sobre as tentativas frustradas, ter o filho não era importante para mim.  Nesse momento expliquei que esse era o passo mais importante da minha vida e não seria o fato de eu não extravasar minha decepção que diminuiria esse sentimento, apenas tentava parecer forte para ela ter um porto seguro nessa hora de aflição.
Essa conversa foi determinante, pois, como casal, demos um enorme passo. Depois disso passamos a conversar mais sobre nossos sentimentos e expectativas e, a partir de agora, somos como dois pilares que se sustentam entre si, cada um é o sustentáculo do outro. Garanto que a vida em comum melhorou muito, há mais compreensão e paciência entre ambos, uma vez que, quando conhecemos o sentimento do outro, fica mais fácil entender tudo.
Essa é uma dica que dou para as tentantes: conversem um pouco mais com os tentantes, mas não apenas para desfiar o rosário de reclamações por ainda não ter conseguido o resultado esperado, mas para perguntar quais são nossos sentimentos a respeito de tudo, garanto que, no meu caso, o resultado foi extremamente benéfico.
Vejo que esse processo para gerar o filho tem que ser uma caminhada a dois, cada qual servindo de apoio para o outro nos momentos de angústias e também naquelas horas de alegria e expectativa. Quando tudo é dividido fica mais fácil suportar e entender as vicissitudes da vida. Se é a mulher que tem algum problema que dificulte a gravidez, é hora de o homem colocar a vergonha e o orgulho no bolso e procurar confortá-la, fornecendo outra visão para a situação, pois temos a grande tendência de termos uma visão unidimensional para nossos problemas, quando os dividimos com outras pessoas e, nesta hora, não há ninguém (não é a internet ou as amigas) melhor indicado para conversar que o marido. Mulheres, se é o homem que tem algum fator que dificulte a geração do filho, converse com ele sobre isso, mas não o culpando pela frustração, mas como uma amiga que pode dar aquela força nesse momento difícil e apresentar outras soluções para o caso.
Assim, esta é a visão que tenho a respeito deste processo para gerar nosso filho, um constante aprendizado, seja para autoconhecimento ou mesmo para conhecer mais sobre os sentimentos da esposa, a decepção pelo resultado negativo recai sobre ambos e, por isso, quando vier o esperado positivo, a alegria será para ambos também.



<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3


E se eu chorei lendo?
Demais!

Não ficou massa, gente?!
Bj




Honey, you're my fave!




6 comentários:

  1. Mt lindo, seu marido é mt inteligente e carinhoso com vc e com toda a situação vcs, como eu e o rafa estão aprendendo crescendo ao tentar ter um fruto do amor ,um bj que Deus abençoe esta união com um bb bem lindooo em breve!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Naine!
      O meu amor é mesmo muito especial!

      Com fé em Deus, logo logo, o fruto da nossa união estará aqui conosco!

      Bjo

      Excluir
  2. Muito bom! Realmente, tendemos a pensar só no lado da mulher: seja nas tentativas, seja na gestação. E os homens tem que fazer parte desses sentimentos!

    Adorei!

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É extremamente importante agregar o marido nesse momento, Loroca!
      E eles ficam tão felizes quando são reconhecidos como parte essencial desse processo!!!

      Bjosss

      Excluir
  3. Que lindo!!
    O que seria de nós sem nossos maridinhos né?! Peça fundamental em todo este processo, e não só por questões genéticas, mas principalmente pela parte emocional.
    Eles são nosso Porto Seguro!! E isso só acontece tendo a cumplicidade descrita aqui.
    Fiquem com Deus.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oh amiga!
    Que bom vc aqui!
    Feliz com a vista!
    Bjosssss

    ResponderExcluir