Pesquisar nas cartas

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Um abraço, por favor!

Já escrevi algumas vezes por aqui sobre como me comporto ou não quando surgem as perguntas sobre gravidez.

É muito chato mentir, pra falar a verdade eu acho podre...

Mentir sobre o tratamento, pois, resolvemos não contar para absolutamente ninguém, dessa vez... A não ser por aqui...

Mentir ao dizer que "ainda achamos cedo para isso e pensaremos nisso mais pra frente"...

O ruim de não falar a verdade não é só a mentira em si... Deixamos de ser leais com todo mundo, nivelamos por baixo, entende?! Colocamos no mesmo status as pessoas que nos querem bem e se preocupam se estamos felizes com aquelas que não se importam tanto conosco... E isso me incomoda bastante, tanto é que vira e mexe, eu falo disso por aqui.

Ontem, fui perguntada sobre filhos por uma pessoa da família do marido e mais uma vez contei a maior lorota de todas... Que estamos evitamos a gravidez, por enquanto O.o... Vejam só????? Como eu tive coragem de falar isso??? I don't know! E acho que ela não entendeu a minha cara vermelha!

Então, como lidar com isso?
Não faço a mínima ideia...
Estou tentando montar estratégias de desvio quando sentir que a conversa vai descambar pra esse lado... Nem sempre isso é possível.

Aí você, cara leitora, me pergunta: Por que não fala a verdade, então?

Porque já fizemos isso, e foi muito pior...

Vira um bolo de gente sofrendo contigo... Questionando, perguntando, querendo saber por que isso ou aquilo... Oferecendo ideias mirabolantes para você engravidar mais rápido...

Essa nossa vida de fivete é um mar de conflitos... Deu pra perceber, não é?!

Eu queria mesmo era poder falar sem ser ter que explicar... #loca loca loca

É assim ó: Eu queria falar, chorar, desabafar... Sem ser interrompida ou julgada... Sem ter medo de falar tanto sobre isso e não ser chata... Falar sobre essa espera, que é angustiante, que suspende seus outros projetos, que muda o seu humor, seu apetite, sua maneira de se relacionar com as pessoas e com você mesmo...

Eu sei, eu sei, é pra isso que estamos aqui, eu e você... Eu escrevo, você lê, e na maioria das vezes, você continua aí, caladinha, em silêncio e eu nunca saberei o que você acha de todas essas bobeiras de tentante escritas por aqui... E quando você conversa comigo, é sempre pra dizer palavaras de conforto e carinho!

Muito, muito, muito obrigada, mesmo!

Mas hoje, eu queria de verdade, um abraço de quem me entende!

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Eu vou pedir para os anjos cantarem por mim!

Ontém começou um novo ciclo!
Isso mesmo, apareceu quem eu tanto esperava... Miss Red, a usurpadora! aahahahahahahah

Brincadeiras à parte...
Fomos ao médico e já começamos com a medicação!
Os detalhes, eu conto à medida que forem acontecendo. Pode ser?!

Boa noite!!!



segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Cadê tu, tatu?

Meu corpo resolveu me trollar!
Nessa vida de tentante, a gente fica mês a mês, torcendo e pedindo aos céus que a menstruação não apareça, certo? Certo. Mas na vida de fivete são outros 500!

Pois é, quando a gente já ultrapassou a fase em que esperamos sozinhas (sem ajuda médica) pela gravidez, ocorre o contrário! A cada novo ciclo de tratamento, é preciso haver menstruação e consequentemente, estímulo de ovulação!
Dependemos muito de um ciclo redondinho... Onde, quando não há fecundação do PF (sem tentativas), a dita cuja dê as caras por volta do 28º ao 30º DC.
Agora, te pergunto? Isso aconteceu?

Estou aqui, cheia de sintomas de menstruação: cólicas, peito dolorido, vibração do lado do ovário esquerdo, irritação a mil... Típico de um período pré-menstrual! Ansiosa para que ela desça e possamos fazer a primeira ultra para o início da nova tentativa...

Estou no 32º DC e nada. Nadinha! Tic tac, tic tac...

*Antes que vcs fiquem alvoroçadas, esclareço que não há a mínima possibilidade de gravidez. Infelizmente!*

Após o resultado negativo da nossa 1º FIV, fomos ao nosso médico, e ele pediu uso de preservativos. Isso era necessário porque eu faria um exame, a histerossonografia.
E na sequência, já começaríamos com uma medicação, no intuito de preparar o corpo para o próximo tratamento.

A única vez que esquecemos (eu juro), estávamos fora do PF e foi logo depois que a menstruação foi embora... Então, não foi treino, foi só muito amor e sacanagem tb!!!! Abafa!!!

Provavelmente, é um sintoma da minha ansiedade...

Ilumina Jesus!

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

A outra face

Mudei!

Troquei a imagem que me identificava aqui no mundo virtual...
Antes, era uma foto minha, cortada verticalmente no meio da minha face.

Quando fiz o blog, havia essa restrição do anonimato. Mesmo sem saber como eu iria lidar com isso.
Falo isso porque eu sou uma pessoa até bem destemida de mostrar meu posicionamento e convicções sobre a vida. Mas eu não queria expôs meu marido, que é um homem muito discreto e respeito isso.

Eu fico incomodada quando converso com uma pessoa de óculos escuros #alouca... Mas tenho essa dificuldade de falar sem olhar nos olhos... E achei que teria esse bloqueio por aqui também, ao fazer amizades com  pessoas que usam desenhos, fotos destorcidas, ou a logomarca do provedor como identificação. No entanto, fluiu tão bem essa nossa condição desabafo virtual, sem ser reconhecida pelo vizinho num assunto tão íntimo, que acostumei!

Das várias regras pessoais que uso para manter o blog e os assuntos por aqui, está a de nunca ficar sem um rosto. Eu acho mais fácil ter uma face para falar com vocês e ser reconhecida ao fazer comentários e entrar na "casa" dos outros. Nada contra quem não procede dessa maneira.
Respeito o seu jeito de ser!

Recentemente, pesquisei muito sobre fotos de rosto de algumas mulheres mais ou menos parecidas comigo. No entanto, achei inadequado usar imagem de uma mulher comum, que pode ser a sua irmã, a sua prima, uma amiga querida, ou até mesmo você. Não daria certo, né?! A confusão seria grande...

Então, resolvi usar fotos de uma atriz americana que simpatizo bastante, pelo talento e pela história de vida (até onde conheço).

*Como disse acima, procurei alguém que tivesse a minha estampa, mas desisti! Sou muito comum e não há artista hollywoodiana parecida com a pessoa aqui, não mesmo*

E a escolhida foi a Grace Kelly!
Poderia ter escolhido a Angelina Jolie... ahahahahahah... Mas adoro os anos 50 e acho que nasci na época errada!!! E vamos combinar! Ela era muito elegante!!!

A Grace viveu um conto de fadas, largou a profissão para se casar e ter filhos!
E mesmo na hora da morte, protegeu a filha, que dizem, era a motorista no trágico acidente que tirou sua vida.

Essa parte do drama não me agrada muito!
Fiquemos com a vida feliz (aparentemente) que ela teve!

Continuo sendo eu, MMaria, com o mesmo nome duplo e primeiro oculto, o mesmo conteúdo, só a casca ficou mais bonita!!! Oh yeah!!!!!!!!!

  
 
 

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Quero nadar com a corrente!

Posso falar?
Como é difícil esperar!!!
Eu sei, eu sei... estamos cansadas de ouvir esse tipo de lamentação nos blogs de qualquer tentante. Por que não no meu, não é mesmo?!!!

Depois de quase 2 anos, a espera daquela pessoinha que trasnformaria nossas vidas, me pergunto: quanto tempo mais iremos esperar?

Estou num momento de pura ansiedade e incerteza... Acontece, de vez em quando.

Na semana passada, fomos numa palestra organizada pela Clínica onde estamos fazendo o tratamento. Foi uma experiência muito positiva.
Dos cinco casais presentes, apenas nós já havíamos feito um FIV. E também éramos os mais jovens. Bom ou ruim? Não sei...
O que eu sei é que nesses momentos, quando há um especialista falando sobre o assunto, com categoria e domínio, além de estar com outras pessoas na mesma situação e sentirmos que não somos os únicos, que pertencemos a algum lugar...

Entre muitas coisas ditas e debatidas, saímos com a sensação de que deveríamos ter ido na primeira palestra, que foi antes da minha FIV.  Visualizamos muitos sentimentos que nem mesmo reconhecíamos... Entre eles, a solidão...

Pode parecer exagero para quem não compartilha do mesmo problema, mas essa questão da solidão é muito forte. Não estou falando da solidão entre homem e mulher... Graças a Deus, tenho um marido excepcional ao meu lado... Eu falo daquele sentimento de "peixe fora d'água", em quase todos os lugares... E mais... Já perdi o rebolado e a educação tb em várias ocasiões...

Cena 1 - Num almoço com amigas (todas as que são casada tem filho ou estão grávidas), sempre surge esse assunto. Até aí tudo bem... Eu adoro aprender e ouvir conselhos sobre cuidados com os filhotes, etc... Mas no último que fui, uma desavisada (que foi a convite de outra amiga) começou a me perguntar, insistentemente quando eu iria engravidar... Todas as minhas amigas sabem que estamos em tratamento (e sabem também que não gostamos de comentar sobre isso) começaram a desconversar e dar, por mim, as velhas desculpas... Acabei falando de sopetão, na terceira tentativa dela: Estamos em tratamento e não gosto de falar sobre isso com ninguém! Foi constrangedor!!!
*perdi a educação*

Cena 2 - Hoje, chego no trabalho e uma amiga muito querida (grávida de 30 semanas) conversava com outra perto da minha mesa. E a história era linda, e estava sendo narrada com muita emoção... A moça acabara de descobrir a gravidez... E ainda não estava feliz por isso! Não fora planejada!
Digo AINDA, porque tenho fé e torço para que ela ultrapasse qualquer obstáculo que esteja deixando-a triste por essa benção!
E eu ali! Ouvindo aquela linda história e fazendo de tudo pra não me meter e falar o quão abençoada aquela menina estava!!!! Quando ela saiu, minha amiga ficou calada e não comentou nada a respeito comigo, mesmo sabendo que havia escutado tudo... Quis me poupar, acredito... Não era necessário! Meu coração se alegra com novas vidas a caminho! Não precisa ser no meu útero!
*perdi o rebolado*

Manter distância das perguntas e de algumas situações é tarefa árdua e requer muito tato...
Às vezes a gente consegue, outras... As outras, a gente esquece!

Eu quero mesmo é entrar nesse aquário!!!


quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Mulher de fases...

Estava aqui pensando...
Temos mania de nomear tudo, né?!
Antes de entrar naquela conhecida fase de contar período fértil, medir a temperatura, testes e mais testes de ovulação e gravidez, nos nomeamos de DESEJANTES.
É um tempo lindo e descompromissado, cheio de vontades e dúvidas também.

Mais adiante, quando isso já é um assunto superado, quando as dúvidas se resolvem e as vontades assumem outro status, um pouco mais sério e complexo, nós nos chamamos de TENTANTES.
Confesso que passei despercebida pela primeira fase, pelo fato de apenas começar a navegar e pesquisar assuntos de maternagem quando já era uma tentante.
Sinto por isso, mas a gente pula fases, às vezes...

Um parte das mulheres passa por uma fase intermediária, não menos ou mais conflituosa que a fase anterior... São as meninas que buscam a ajuda da medicina para realizar o seu grande sonho, através da Fertlização in Vitro. E tem nome, como não?!!!

-FIVETE-

Pois é, SOU DESSAS!
Pela sua própria natureza, é uma fase plenamente identificável, haja vista a grande ansiedade que desperta não apenas na futura mamãe mas em todos que estão ao seu redor, mesmo que não saibam dessa condição especial.

Ser FIVETE é:

  • Ter passado 1 ano ou mais a espera do seu positivo, na esperança que ele venha naturalmente...
  • É fazer a HISTEROSSALPINGOGRAFIA quantos vezes forem necessárias...
  • É passar por todos os outros métodos de reprodução assistida e não desistir...
  • É tomar várias injeções diárias, exatamente no mesmo horário todos os dias, mesmo que fique com a barriga cheia de hematomas pela falta de traquejo em espetá-las...
  • É ser forte e ter bastante controle emocional na hora de fazer a implantação embrionária com a bexiga cheia e um espéculo no útero...
  • É esperar ANSIOSAMENTE pelo dia do beta...

Pode acontecer de não vir um positivo na 1ª FIV, meu caso...
Mas o que mais uma fivete É, é ser confiante e cheia de fé que este momento poderá acontecer no próximo ciclo!

No momento, sou uma FIVETE!

Muito esperançosa em ser GESTANTE, logo, logo.

Dessa fase, eu falo quando chegar a minha hora!