Pesquisar nas cartas

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Is it friday yet?

Acabou-se o primeiro mês de 2014!
Nessa mesma época do ano passado eu estava tão animada com a minha futura gravidez... Mesmo assim não fiz muitos planos.
As situações mais práticas não faziam parte do meu repertório de desejos...

Como seria, de verdade, o parto?
Alguém me ajudaria a cuidar do bebê?
E na volta ao trabalho: creche ou babá?
A reforma da casa, ficaria para antes ou depois?
Terei que desmarcar minhas férias?

Óbvio que não tenho resposta para nenhuma destas perguntas...
Eu estou falando isso aqui é só para mostrar (pra mim mesma, principalmente) que, dessa vez, eu estou mais confiante e segura.
Eu até pensava nessas coisas mas tinha tanto medo de pular fases e me decepcionar com a demora dos acontecimentos... Adiantou? Nadinha...

O que eu quero dizer, meu povo, é que o medo só serve pra atrapalhar a gente de ser feliz.
Ter confiança, pensar com positivamente nos faz muito bem. Essa confiança é extremamente importante para que não desistamos do sonho!

O foco por aqui continua sendo o recomeço da luta. Porém, pensar na maravilha que será, quando a cegonha encontrar o endereço lá de casa, deixa a minha sexta-feira muito mais delícia!!!



quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Ainda falta 3,7kg

Desde quando comecei a dieta, tenho procurado viver e aprimorar meus costumes alimentares. Não tenho disciplina alguma com academia e sempre que vou lá (sim, eu sou matriculada em uma), tenho que confirmar o meu cadastro porque as recepcionistas acham que sou "aluna nova"... ahahahahaha
Tá! Num é pra rir não! Mas, vamos combinar... Seria cômico se não fosse falta de vergonha na minha cara...
 
Era para emagrecer 8kg, já consegui 4kg e 300g (faço questão dessas 300g) até novembro!
Parei de emagrecer nas festividades do meu aniversário, que foi no final desse mesmo mês... Daí pra frente, é só festa, minha gente! É novena de Natal, é confraternização do trabalho atual e do antigo, das amigas, dos amigos do marido, dos primos, da família do marido, da minha e por aí vai. Até que chega o Ano Novo! Ufa, últimos dias do ano e da comilança!
Desde então, não perdi mais nenhuma grama, mas também não aumentei. Menos mal! Acho que se tivesse seguido direitinho o plano e não derrapasse no final do ano, talvez estivesse mais perto da meta.
 
Quando comecei o regime, eu estava, além de sobrepeso, muito inchada por causa das medicações da IA de abril. Por isso, pessoas que não me viam há um tempinho achavam que eu havia emagrecido demais. Embora, até eu ache isso... Mas nada como tirar uma fotinha e ver que ainda não é hora de entrar na tão sonhada manutenção...Estou em pleno processo de emagrecimento. Naquela fase meio estanque, em que se perde pouco com muito esforço.
 
Tenho tido resultados positivos principalmente pelos novos hábitos com os talheres. Estou impressionada como isso funciona comigo!!! Ainda que não esteja me exercitando como deveria. E preciso começar logo a me mexer, pois a perda de peso acelera muitíssimo com a dupla: alimentação balanceada + atividade física. O que tem me ajudado bastante são blogs/IG de saúde/dieta.
 
Indico muito:
 
O que eu mudei na minha alimentação:
 
- Cortei refrigerante. Esta atitude foi fácil porque é uma bebida que gosto mas não morro de amores... O difícil foi tentar não comprar, pois meu amor não toma água, ele toma Coca-Cola. O estoque aqui de casa continua o mesmo.
Não como mais pão francês. Introduzi de vez os pães integrais na minha vida. No começo foi muito difícil, mas agora sinto falta quando esqueço de comprar.
- Não tomo mais leite e nem derivados, como iogurte e queijo. Essa foi uma sugestão da minha acupunturista. Na primeira semana senti os efeitos, meus dentes ficaram levemente sensíveis mas agora não sinto isso. E quando resolvo tomar um pouquinho de leite, fico cheia de gases, totalmente sem glamour! Substituí por leite de soja, que tomo bem pouquinho e chá, de vários sabores.
- Não como mais arroz, macarrão (a não ser os integrais) e nem batata. Grau de dificuldade muito baixo aqui, nunca fui de ingerir esses alimentos todos os dias nem em grandes quantidades, por isso não fico na fissura quando alguém come essas coisas perto de mim. E é fácil rejeitar quando alguém oferece.
- Nada de frituras. Minha identidade gastronômica é quase toda baseada na culinária nordestina, mais pro Meio-Norte, então é muita comida cozida, e com muito caldo. Diferente dos costumes alimentares do meu marido, que ingere bastante alimento frito em muita gordura... Foi relativamente complicado mudar um pouco isso porque lá em casa quem cozinha é marido (eu até gosto de cozinhar mas não tenho o dom...rs)... Aí já viu! Dá-lhe fritada de tudo!!! Estamos adaptados a dois tipos de prato nas refeições agora, um pra mim e outro pra ele. Marido não precisa de regime, ele é magrinho...;)
- Tomo bastante água, o dia todo. Nunca quantifiquei mas deve ser uns 2,8L (minha garrafinha tem 700ml e tomo umas 4/dia). Sempre gostei de ficar hidratada e isso já era um hábito antigo porque o clima aqui do Planalto Central é cruel com quem não toma água.
- Pequenas refeições de 3 em 3 horas. Gente, essa parte foi difícil pra caramba! Meu Deus! Eu quase desisti por causa disso. Meu trabalho é muito dinâmico e quando estou concentrada em algo me perco nas horas e o tempo vira pó! Só lembrava de comer quando a barriga denunciava o grande vazio!!! E quando eu ía comer, era aquele prato de pedreiro, sabe?! Despertador de celular em ação!!! Usei nos primeiros dias e foi ótimo! Agora, acostumei.
 
Foram mudanças básicas e bem rotineiras mesmo, daquelas que quando você  não faz, sente falta.
 
O próximo passo foi pesquisar sobre ginástica x tratamento, o qual estou prestes a recomeçar. Descobri que não posso fazer musculação e nem corrida, para não comprometer em demasia a musculatura do útero e sobrecarregar os ovários, dois órgãos que serão bem requisitados nos próximos meses... Fiquei até um pouquinho frustrada, juro! Eu já tinha até pensado em usar a ciclovia aqui da minha cidade-satélite (nomenclatura para bairro aqui no DF) como forma de esporte ao ar livre... Já era! 
Outra opção seria fazer hidroginástica mas não gosto de praticar esportes aquáticos, apesar de adorar banhos de rio, mar e piscina... Mas só por lazer, nada de obrigação!
Ainda assim, preciso baixar mais o meu peso, pois já se comprovou que mulheres que estão no seu peso ideal aumentam as taxas de implantação, em termos de FIV, claro. E só conseguirei isso com muito suor, literalmente!!! Posso fazer isso sem grande desgaste físico?  =/
 
Então, só me resta a caminhadinha leve e faceira pela pista de cooper da minha quadra. 

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Do parto que escolhi pra mim

Minha irmã tem 3 filhos e não acompanhei o nascimento de nenhum deles.
Na época que ela teve o primeiro eu não morava em Brasília. Foi no meio do ano letivo (temos uma diferença de idade de 7 anos, quando meu sobrinho mais velho nasceu eu tinha 15 anos) e apenas minha mãe veio pra ficar com ela. Eu e meu pai ficamos em casa. Quando ela teve os dois mais novos, eu já morava aqui e também não pude acompanhar porque o meu papel, naqueles momentos, era de cuidar dos meus sobrinhos enquanto ela estava internada.
Apesar de ter feito cesárea em todos os 3 partos, graças a Deus, minha irmã esperou entrar em TP em todos eles.
 
Não sei bem dizer o que aconteceu nos primeiros dias de vida dos meus sobrinhos porque só os conheci em casa, já com 3 ou 4 dias de nascidos.
 
Mas no último post falei do parto da minha cunhada, lembram?
Pois não é que foi uma experiência muito esclarecedora para nós (eu e marido) também?!
 
Infelizmente, nossa sobrinha nasceu de uma cesárea. Digo infelizmente porque adoro minha cunhada e sinto muito por ela não ter passado pela experiência de parir. A cirurgia foi rápida, da hora que ela chegou a maternidade ao primeiro choro, foram apenas 4 horas de espera. O infelizmente também tá valendo apenas pra mim porque nem minha cunhada e nem o marido dela estavam preocupados com isso. E acham que o melhor jeito foi como aconteceu. Felizmente, todos estão muitíssimo bem!
 
Pois bem, sábado passado conversando com marido surgiu essa história do parto. E eu comecei a falar para marido sobre o que escrevi acima e eis que ele vira pra mim e fala que não teve a mesma visão que eu. E acha que a cesárea foi realmente a melhor opção. Pausa para imaginar a minha cara quando ele disse isso! Ainda não introduzi marido no fantástico mundo da partolândia, então voltei ao normal rapidinho para lhe explicar os pormenores das nossas escolhas serem direcionadas para a naturalidade dos acontecimentos. Terminei meu discurso dizendo a ele que desde quando senti que queria ser mãe, eu queria passar por todas as sensações. Eu queria viver tudo! Inclusive o parto! Eu deixei bem claro que a minha decisão já havia sido tomada. Eu vou parir! O maior medo do marido, dito por ele, é que depois de tanta luta para a nossa futura gravidez, eu/baby corramos riscos desnecessários com a minha decisão de ficar horas e horas (caso seja necessário, segundo a visão dele) em trabalho de parto. Daí eu pensei, mas não falei pra ele: Você está falando de uma cesárea, honey!!! - Não falei porque fomos interrompidos por uma ligação telefônica. Mas tá aqui na ponta da língua! rs
 
Desde sempre, antes mesmo de querer engravidar, o assunto parto esteve presente nos meus pensamentos. Eu sempre pensava assim: Só quero engravidar quando tiver coragem de ter um parto normal. Acho que eu pensava assim porque vi todo o pós-operatório da minha irmã e digo com conhecimento de causa. Não foi nada fácil. E eu não queria, de jeito nenhum, passar por aquilo.
 
Eu falava parto normal porque não conhecia os termos nem as diferenças semânticas entre eles. Na verdade, o que eu sempre quis foi um parto natural. Sem intervenções e com muito respeito!
 
Vejam bem, acompanho blogs de muitas meninas que optaram pelo PC e eu, que não tenho esse direito, não julguei e nem expus os meus pensamentos. Não acho que a minha opinião seja importante, afinal, o que importa é o que cada um escolhe pra si, com segurança e respeito. E é o que espero por aqui também.
 
Talvez, eu não tenha condições físicas de passar pela experiência do parto humanizado, não sei. Pode acontecer tanta coisa. Eu peço muito a Deus para que Ele retire todos os obstáculos e nada atrapalhe o meu sonho. Que tudo dê certo, do começo ao fim! O que eu não vou é ficar parada, dizendo que vou tentar pn! Vou me preparar para o PN! Isso sim!
 
Ainda não li muita coisa, mas já tenho uma lista dos livros que pretendo ler para me preparar para a chegada do meu filhote. Assim como muitas pesquisas sobre profissionais humanizados em BsB. Aceito sugestões, também!
 

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

2014 chegou chegando!

Quarta-feira, 15 de janeiro,19:30h
Estávamos (eu, amor e meus pais) jantando numa pizzaria perto da minha casa e marido recebe uma mensagem do cunhado dele... Nossa sobrinha está querendo vir ao mundo. Ficamos surpresos e felizes! A data provável para o parto seria o sábado em que estaríamos em São Paulo. Ainda assim, achamos que não daria pra acompanhar o parto, pois viajaríamos na manhã de quinta... Que nada! Ela nasceu naquela mesma noite e chegamos em casa às 4:30h!!! Felizes com uma bebê e uma mamãe saudáveis!!!

Quinta-feira,16 de janeiro, 9:00h
Mal dormi, o dia já começou e eu nem havia arrumado a bagagem! Correria!!!
Ao chegar o aeroporto, às 14:00h, caiu o maior pé d'água!!!
Espera de 1 hora!!! Até pensei em gravar um vídeo pra vocês de lá, mas a vergonha e o sono não deixaram que os fizesse assim, em público! Mas eu tentei...


Mais demora na chegada por causa do caos para pegar as bagagens...
POR QUE eu despachei a minha mala mesmo???? Ah sim!!!!




Eu podia parar por aqui, né não?!!!
Depois dessa apresentação modestíssima bizarra da minha pessoa...
Mas eu sou brasileira, e não desisto nunca! ahahahahahahahaah

Agora, falando sério... De vez em quando, farei uns vídeos para vocês... Eu sei, eu sei. Esse primeiro ficou meio palha (aqui em BsB significa tosco). Mas vou me aprimorar... Gostei de fazer os vídeos!

Depois do vídeo fomos ao supermercado, próximo ao hotel, e compramos o lanche da noite!
Queríamos dormir cedo e descansar bem para o dia seguinte.

Sexta-feira, 17 de janeiro, 7:00h
Eu nem sei porque levantei só nesse horário!!! Desde as 5:00h eu tentava voltar a dormir e não conseguia e ficava pensando na consulta, nos exames, na Clínica... Como assim/ Como assado/Como isso/ Como aquilo... Sério, gente!
O banho quente me acalmou bastante e consegui relaxar... Mas não podia mais dormir porque eu tinha que me arrumar para a consulta.
Fomos de táxi. Novamente, pensei em fazer o vídeo mas eu estava muito nervosa, sem chance!
A distância entre o hotel e a Clínica se mostrou maior do que pensávamos, apesar de visualizar no google maps as duas localizações. Mesmo assim, o percurso foi pequeno, em 15 minutos estávamos lá.

A consulta estava marcada para as 9:30h, chegamos às 9:00h.
Marido logo foi coletar os peixinhos... Pensem numa criatura sem graça! ahahahaahah
Demorou! Fomos atendidos apenas às 11:00h.
Mas, posso falar? Valeu a apena!
Olha gente, o meu maior medo era de não gostar do médico. Mesmo sabendo de muitos depoimentos maravilhosos sobre ele, bateu aquela insegurança e isso me incomodava bastante.
Graças a Deus, foi absolutamente espontânea a nossa consulta, um bate-papo mesmo. Rolou até umas piadas (nada trash pelamor!)... Falamos sobre tudo, muitos esclarecimentos.
Um dos pontos altos foi o exame!

Eu fiz uma videohisteroscopia diagnóstica. Posição constrangedora feita e na hora do exame, a auxiliar coloca um aparelhinho (serve para tirar o incômodo do exame) na altura baixo ventre (assim que fala?) e dá um pirulito (aquele em formato de coração) para usar durante o exame. Ela explicou que constataram, há um tempo, que a ingestão de açúcar ameniza a dor durante o exame. Gostei! E nem deixei a moça terminar de explicar a tal pesquisa e já pedi para que ela desse um pirulito daquele ao marido (que esperava na sala ao lado). Ele adora essa guloseima com todas as suas forças. Sério gente! Sempre tem um saquinho de pirulito lá em casa! rs
Quando o Dr. entrou já foi logo dizendo que nunca tinha visto isso. Uma paciente pedir que desse pirulito para o marido também! ahahaahah
E ele (o médico) nunca havia experimentado o tal doce... Resolveu tentar experimentar! Diz ele que gostou!
Nem preciso dizer que caímos na gargalhada, né?!!!
E foi assim que saímos de lá sendo chamados de Casal Pirulito!

Saímos de lá e fomos almoçar. Eu estava exausta e faminta!
Aproveitei para comprar umas lembrancinhas para o meus queridos e chegamos ao hotel com o pensamento de sair pra jantar em um restaurante legal... Foi? Só em sonhos!!! ahahahaha
Pedimos um lanche num lugar bem sugestivo...



Sábado, 18 de janeiro, 10:00h
De volta à Clínica para coleta de sangue, meus e do marido.
O plano era fazer os exames e passear. 
Essa não é a primeira vez em São Paulo, já viemos pra cá outras vezes a passeio e a trabalho. Então, escolhemos lugares que ainda não havíamos visitado. O Mercado Municipal, o Mosteiro de São Bento e o Museu da Língua Portuguesa, nessa ordem. Queríamos tomar café no Mercado...
Só que demoramos demais lá na Clínica e quando terminamos já era mais de meio dia... E eu morta de fome!
Continuamos com o roteiro, mas ao invés de tomar café da manhã, almoçamos... Pastel! Delíciaaaa!




De lá, seguimos para o Mosteiro de São Bento... E tava fechado!!! Humpffff
Esse fica para próxima!
Fomos para o Museu de táxi e adoramos!!!
E estava tendo uma exposição do Cazuza. Bem bom!!!

Senti um mal estar por causa do calor e lembramos que eu colhi uns 25 tubos de ensaio de sangue, além de ter comido apenas pastel durante todo o dia... Eu precisava descansar e comer!!! ahahaha
Voltamos para o hotel e os planos de sair pra jantar foram solenemente cancelados again!

Domingo, 19 de janeiro, 9:00h
Até breve Sampa!
Retornamos a Brasília, em paz!

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Ser mãe é padecer no paraíso

Hoje é véspera da viagem para São Paulo, e eu estou um pouco ansiosa!
Tá bom, eu tô muito ansiosa...:(
Ficaremos em um hotel perto da Clínica e aproveitaremos a ida para ficar mais dois dias por lá.
Queremos visitar alguns museus e divertir um pouquinho né, minha gente!
 
Ainda hoje, quando chegarmos em casa, eu e marido combinamos de fazer a listinha das dúvidas e o roteiro dos passeios.
 
A meta é ficarmos bem seguros da decisão a tomar e do caminho a seguir...
 
Faremos a maioria dos exames já solicitados lá na Clínica mesmo porque os laboratórios de Brasília não aceitaram cópia para a solicitação médica (mesmo a gente tendo impresso colorido)... Pela falta de tempo, optamos por fazer lá (graças a Deus, aceitam nosso plano de saúde) o que der pra fazer na sexta e no sábado e o resto aqui.
 
Apenas nossos pais e a minha cunhada estão sabendo o motivo da viagem, mas ninguém sabe os detalhes... Como já falei antes, queremos tranquilidade para o tratamento. Não é segredo, caso alguém pergunte, nós falaremos a verdade. Só não queremos ficar falando sobre isso com quem não tem intimidade e nem afinidade conosco. Prometo ser última vez que dou essa explicação por aqui... Já tá ficando repetitivo pra vocês!
 
Vou tentar fazer algum post de lá...
Se não der, conto tudo na volta!
 
 
Vamos lá! Em busca do Paraíso!
 
 
Posso contar com as orações de vocês?!
 

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Infant Swimming Resource

 
Desde quando começamos a nos preparar para ter filhos, uma grande preocupação sempre esteve presente: Água.
Água de piscina, de rio, de praia, de vaso, de balde... Pareço neurótica!!! Mas um casal de amigos dos meus pais perdeu, há muitos anos, um filhinho que se afogou num balde. (Sem querer assustar as mamães, longe de mim). E eu, mesmo bem pequena, lembro muito bem dessa história porque o menininho era meu coleguinha na escola.
 
Na casa dos meus pais não tem piscina, mas na casa dos meus sogros e na casa da minha vó tem. E eu vivia falando pro marido que nunca deixaria nosso filhos (enquanto pequenos) passarem nem uma tarde com a nossa família, sem a nossa presença. Só pensava no fascínio que a água exerce sobre as crianças... A minha única preocupação era a piscina. Digo era porque marido descobriu, através de um colega de trabalho, que existe uma técnica de auto-salvamento aquática bem eficaz, trazida dos USA. É a  Infant Swimming Resource (ISR). Claro que a gente fica sempre de olho nas crianças, mas esse treinamento serve para aquele piscar de olhos, aquela fração de segundos que eles (os bebês) fazem façanhas!!!
 
Achei extraordinário! E me senti na obrigação de postar aqui no blog sobre isso!
Vale a pena dar uma olhada!
Nós, com absoluta certeza, colocaremos o futuro filhote nesse curso. Aqui em Brasília, tem um instrutor certificado: Alexandre Paiva. Bom, né?!
Vídeos do youtube:
 

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Desejos de 2014

Em 2014...

1 - Voltar a praticar algum esporte ao ar livre;

2 - Ser mais paciente;

3 - Organizar o quarto que meus pais tem na minha casa; (tá cheio de coisas inúteis); Já falei aqui que meus pais não moram em Brasília? Mas sempre estão por aqui?

4 - Mudar o cantinho das minhas orações;

5 - Não chegar atrasada ao trabalho... Isso aqui inclui não esquecer o crachá no carro... Oh God!

6 - Lembrar de tirar a carne do freezer algumas horas antes de prepará-la;

9 - Cuidar melhor da minha pele;

10 - Comprar menos, muito menos roupas, sapatos e afins; Será que consigo zerar o consumismo?

11 - Ler mais;

12 - Comer menos;

13 - Medir a Temperatura Basal... Não me julguem! Post a parte para contar os detalhes das tentativas frustradas;

14 - Montar o calendário 2014, para preencher com os PF's, as TB's, o período menstrual, os namoros, os testes de ovulação...

Meu pequeno caderninho de bolso, com o calendário prontinho para ser preenchido de boas notícias!
 
Quando eu estava organizando o caderninho acima, dei uma olhadinha nos feriados, datas de jogos da copa e as minha férias... E olha só como estamos:

 Agenda profissional, ainda não comprei minha agenda pessoal e estou cheia de pedacinho de papel jogados na bolsa... Não tenho paciência para usar agenda no celular...
 
Nos dias de jogos do Brasil na Copa, será feriado e nos dias em que outras seleções jogarem aqui em Brasília, também. O órgão no qual trabalho é do lado do estádio e faz parte da zona que será interditada para acesso à área dos jogos... E alguns feriados nacionais serão em dias de quinta-feira!!! Fico aqui torcendo para que seja ponto facultativo na sexta! *Quem nunca?
 
15 - Interagir melhor com o meu corpo, reconhecer as fases e sintomas para o encontro do meu DNA com o do marido!

Só pra esclarecer: a numeração feita não se relaciona com a importância das metas... Obviamente, os itens 13 a 15 tem prioridade máxima!
 
Nunca tinha feito uma lista assim, até gostei dessa reflexão a respeito dos meus maiores interesses pra esse ano que já começou... Listar tudo me fez bem e me deu a exata dimensão dos meus objetivos e sonhos.
 
Talvez eu volte aqui e reescreva outras vontades para os primeiros itens, que são bem flexíveis.
Não é o caso dos últimos que tem seu lugar garantido e insubstituível na minha lista, como vocês bem sabem!!! 
 
2014, seja gentil!

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

O ano que passou!

Sobrevivi!
 
Essa foi a palavra que pensei na virada do ano!
Eu sobrevivi a 2013!
Que ano!!! Em todos os sentidos!
 
O primeiro post do ano servirá para lembrar o que passou... Nossa! Foi um ano intenso! O começo de uma jornada que ainda não acabou...
 
Resolvi escrever, mesmo sem ter certeza que alguém leria, além do meu marido, porque eu descobri que isso me acalmava e colocava meus sentimentos em ordem. Era um divã virtual.
Eu estava certa! Quantas coisas descobri e aprendi...
 
No começo, tudo parecia estranho, mas depois que a gente pega o jeito... Escrever aqui vira um hábito, um acalento, uma necessidade, e quando não acontece, vira saudade...
 
Nos primeiros posts, em Maio, eu tinha acabado de sair de uma IA sem sucesso.
Confusa e abatida, o meu relato foi quase um pedido de ajuda... E era!
 
Com o tempo, vi que eu não estava sozinha nessa caminhada, que havia mais "andarilhos por outras estradas", lado a lado. Mas nós ficamos tão focadas no final da passagem que esquecemos de olhar ao redor. E foi numa dessas paradas para respirar que conheci muita gente boa, que compartilha e que se solidariza com a nossa dor, com o nosso sonho...
 
Aconteceu também, tudo junto, nesse mesmo mês, a minha mudança de emprego. Eu estava esperando há muito tempo ser convocada em um concurso. E fui convocada no dia 02/04/13, mal tive tempo pra comemorar (o que não aconteceu de fato) por causa do resultado negativo da IA que saiu no dia 08/04/13. E eu nem lembro se contei isso aqui... Tem muita coisa que eu esqueço de contar ou mesmo não faço questão de fazê-lo... Creio eu que é um mecanismo de autodefesa, quando falo sobre isso, as lembranças de tempos ruins voltam. E doem. Como doem! Mesmo assim, fiz questão de agradecer a Deus pelo presente. Afinal, Ele estava providenciando os meios para que os fins sejam alcançados. Eu sei disso.
 
Em junho, mudamos de médico, de Clínica, de tratamento... Infelizmente, não adiantou. Outro negativo.
 
Abalados e com muita vontade que desse certo, fizemos a 2ª FIV, sem intervalo de ciclo em outubro, e mais um negativo. Desta vez, avassalador! Mesmo com a insistência da equipe médica para que fizéssemos a 3ª FIV, paramos para juntar os cacos. E dessa vez, a tristeza veio acompanhada da morte do meu avô materno. Eu não contei na época pra vocês, mas no dia da minha transferência meu avô estava sendo sepultado. No mesmo horário. Talvez não tenha contado para não me vitimizar (mais ainda). Eu chorei muito e estava muito nervosa. Não sei se isso contribuiu para o meu negativo. Foi extremamente difícil aquele dia.
 
Não tínhamos mais reservas financeiras e muito menos psicológicas para mais um ciclo de remédios, ecografias, consultas, espera, anestesia, mais espera, mais remédios...
 
Foi sofrido, mas decidimos esperar. E mudar. Isso mesmo! De novo!
Mudar de médico, de tratamento, de Clínica e de cidade.
 
Pesquisamos muito, procuramos ajuda, fiz acupuntura (ainda faço), conversei com muita gente que passava pelo mesmo que eu, participei de grupos de fivetes e tentantes.
 
Chegou novembro, mês do meu aniversário. Eu adoro aniversário!!! O meu e dos outros também!
Gosto de tudo, do bolo, dos brindes, do parabéns pra você, das conversas animadas, dos encontros com velhos e novos amigos, das fotos, até do manjado "com quem será", eu gosto!!! (Na minha família, a gente só não canta pra minha vó, que é viúva, pode crer...rs).
Foram esses dias que me renovaram e me fizeram enxergar novos caminhos, novas conquistas...
 
No mês passado, que também é uma época muito aguardada por mim. Eu amo as festividades de final de ano. Adoro as cores, as velas, as luzes... Tudo!
 
Tudo ía bem, até que depois do Natal, a avó do marido falece. Na altura dos seus 94 anos, vítima de um AVC que ela teve há dois anos atrás e nunca mais se recuperou. Foi dóido! Meu marido ficou muito triste, apesar de saber que ela poderia nos deixar a qualquer momento.
 
Por isso, passamos o Reveillon em família, sem festa... A não ser pelas cores das toalhas das mesas e flores, branco e detalhes em prata, foi como uma ceia de Natal sem diversão, protocolar...
 
Também demorei aparecer por aqui. Desejar felicidades quando se perde alguém querido é difícil...
 
Mas gente, eu sobrevivi!
 
E hoje, é outro dia, outro ano! E aos poucos, vamos renovando nosso amor pela vida que Deus nos deu.
 
E o que eu desejo para esse ano, que é lindo, que é par (adoro ano par), é que eu seja MÃE!
Estou pedindo muito?

Que 2014 seja abençoado para nós todas!