Pesquisar nas cartas

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Infant Swimming Resource

 
Desde quando começamos a nos preparar para ter filhos, uma grande preocupação sempre esteve presente: Água.
Água de piscina, de rio, de praia, de vaso, de balde... Pareço neurótica!!! Mas um casal de amigos dos meus pais perdeu, há muitos anos, um filhinho que se afogou num balde. (Sem querer assustar as mamães, longe de mim). E eu, mesmo bem pequena, lembro muito bem dessa história porque o menininho era meu coleguinha na escola.
 
Na casa dos meus pais não tem piscina, mas na casa dos meus sogros e na casa da minha vó tem. E eu vivia falando pro marido que nunca deixaria nosso filhos (enquanto pequenos) passarem nem uma tarde com a nossa família, sem a nossa presença. Só pensava no fascínio que a água exerce sobre as crianças... A minha única preocupação era a piscina. Digo era porque marido descobriu, através de um colega de trabalho, que existe uma técnica de auto-salvamento aquática bem eficaz, trazida dos USA. É a  Infant Swimming Resource (ISR). Claro que a gente fica sempre de olho nas crianças, mas esse treinamento serve para aquele piscar de olhos, aquela fração de segundos que eles (os bebês) fazem façanhas!!!
 
Achei extraordinário! E me senti na obrigação de postar aqui no blog sobre isso!
Vale a pena dar uma olhada!
Nós, com absoluta certeza, colocaremos o futuro filhote nesse curso. Aqui em Brasília, tem um instrutor certificado: Alexandre Paiva. Bom, né?!
Vídeos do youtube:
 

12 comentários:

  1. Mais que afogamento, tenho medo de atropelamento.. Acidentes de carro em geral... Isso sim tira o meu sono... Se eu pudesse, em um estalar de dedos, viver com minha família num mundo sem tantos riscos, estalaria... bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jorge, aqui em casa, ainda não somos pais, mas consigo entender o teu medo!
      Creio eu, que quando temos um filho o instinto de sobrevivência perpassa a nossa condição individual... Deve ser algo assim, a vida deles (filhos) é o que mais importa! E protege-los é vital! Quase como necessidade!

      É isso e mais um pouco, né?!

      Bjos

      Excluir
  2. MMaria mais que afogamentos e atropelamentos (como o Jorge citou) eu tenho muito, mais muito medo do bebe/criança engasgar, acho que eu ficaria tão apavorada que não saberia o que fazer....
    Na verdade eu acredito muito que quando nasce um filho nasce também um pai e uma mãe, então tento (apenas tento porque não consigo) não pensar muito nessas coisas...
    Bjus
    http://seraquevousermae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mima,
      eu já me engasguei com mel, mas já era "grandinha", tinha por volta de uns 6 anos... Por isso, lembro bem. No entanto, não fiquei com medo disso... Engraçado, né?!

      Também acho que quando nasce um filho, nascem também os pais e todos os seus instintos de proteção... Só não podemos nos paralisar por isso...

      Bjo bjo bjo

      Excluir
  3. Me lembrei de um causo bobo, mas faz sentido com o que você citou sobre o fascínio das crianças pela água.
    Minha mãe conta que quando pequena eu enfiava a cabeça sempre que via água. Era tipo peixinho, mesmo! rsrsrs
    Ainda sou tentante, mas acho que quando tiver um bebê por aqui, terei medo de tudo porque com o meu sobrinho eu já era paranóica! O.o

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eita Tamires,
      Também já passei por situações de muito medo com um dos meus sobrinhos... Terror e pânico!
      Eu, minha irmã e meu cunhado fomos a uma loja de brinquedos (véspera do dia das crianças - loucos, loucos, loucos... eu sei) e o filho do meu dela, na época com 3 anos sumiu dentro da loja. Foram os dez minutos mais longos da minha vida!!!
      Peço a Deus para não passar por isso nunca mais!!!

      Obrigada pela visita!

      Excluir
  4. Eu sou paranóica com medo de doenças, bactérias, vírus e afins. Só eu cuido da roupa do Bento, tudo dele é separado e com quase 3 meses ainda não gosto de ir com ele em lugares públicos. Também morro de medo dele engasgar. Doido isso, ne?

    Mas todo cuidado é pouco, muito legal saber disso! Vou pesquisar mais!

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Loroca,

      Não acho exagero e nem paranoia esses cuidados que vc está tendo!
      Até porque, com o passar do tempo, quando o Bento estiver mais crescidinho e com muitos anticorpos, os zelos (com relação a ser tudo separado) diminuem um pouquinho, né?!

      Outra coisa, essa questão dos passeios... Já vi bebezinhos de poucos dias em shoppings lotados... Sem querer julgar a criação alheia, eu vou evitar fazer isso com o meu...

      Bjão procês!

      Excluir
  5. Ainda não tenho um filho, mas acredito que quando chegar a minha hora serei um pouco paranoica também em relação a um monte de coisas... Achei os vídeos muito legais!!! Bjos!!!

    ResponderExcluir
  6. Muito bom os videos e seu post. Eu não sei nadar e quero que meu bebe aprenda bem, bem, bem cedo.
    Meus medos? Todos os citados aqui: agua, acidente, engasgo, queda...etc.
    Se com meus alunos eu ja era super preocupada, imagine com meu filho...
    Porem tb nao concordo em manter crianças numa bolha. Acho que uma dosagem entre risco e segurança é sempre bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Blume,
      concordo inteiramente contigo!
      A proteção tem que ser equilibrada, como tudo na nossa vida!
      Passar os nossos medos para as crianças através de situações exageradas de zelo e cuidados também é maléfico.

      Acho que o ideal é dosar e saber reconhecer os potenciais e verdadeiros riscos, sem viajar na batatinha... E cuidar para que sejam evitados!

      Bjossssss

      Excluir