Pesquisar nas cartas

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Picadas

Começamos a indução na segunda!
Antes de começar a tomar o Menopur, a injeção de Lupron era até suave...
Agora, sei lá, tá doendo!!! E ainda fica ardendo um pouquinho depois... o.O

Não quero assustar as pré-fivetes que passam por aqui não! Longe de mim...
É só um comentário desnecessário mesmo... rs

As ampolas de Menopur são chatinhas pra abrir, pois tem que ser quebradas. Marido pesquisou um vídeo no youtube e viu que a melhor forma de "quebrar" seria cortando um pouquinho com uma lixinha (ch?) de unha. Testamos e ficou beeeeeeem mais fácil mesmo! Essa ampola é uma boxxta pra abrir... Qualquer deslize pode quebrar o frasquinho inteiro e já era medicamento! 

Nessa semana e nas próximas duas, eu acho, estarei em campo vistoriando obras governamentais do órgão governamental no qual trabalho... Pra quem não sabe, sou arquiteta BUT não gosto de vistoriar obra!... 

Pois é!

Eu gosto é da parte da criação, do projeto, da prancheta, sabe?!!!
Porém, esta etapa de vistoria, veio a calhar... Tirou o meu foco do tratamento. Estou leve e como estamos em equipe, a diversão com a galera é garantida... ^_^

Amanhã, tenho acupuntura e minha médica já ligou pra confirmar... Calaaaaaaaaaro que eu vou, né?!

Na sexta, tenho a 2ª Ultra de controle. Ansiosa... Novidadeeeee!

Deixa eu ir ali trabalhar mais um pouco!



segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Ninho em construção

Acordei bem cedo, sem ajuda do despertador... Eu fico tão preocupada quando as coisas não estão certas, sabe?!
Esse negócio de não ter conseguido marcar o exame me deixou ansiosa.
Ao sair de casa, um engarrafamento gigante nos atrasou em uns 20 minutos. Calculei que chegando por volta das 7:00, quando a Clínica abre, daria tempo pedir o encaixe sem a recepção lotada de mulheres nervosas e chateadas por eu fazer exame sem marcar. Acreditem, já vi muitas vezes isso...
 
Apenas uma pessoa esperando! ;)
Consegui o encaixe e por volta das 8:30h fui chamada.
E eis que entra na sala a Dra. T!!! Pra quem não lembra, comecei meu tratamento com ela!
Eu sabia da possibilidade de encontrá-la por lá, tendo em vista que ela usa essa Clínica como parceira nos tratamentos do seu consultório.
 
Fingimos que não nos conhecíamos. Usei o verbo no plural porque tenho quase certeza que ela me reconheceu, mas fez de conta... E foi a melhor saída! Pra mim também.
Confesso que senti até um certo alívio de ter feito a primeira ultra seriada com ela porque ela é bem delicada e atenciosa. E foi nos mostrando os folículos e nos deixou bem animados!
Meu tratamento com ela, infelizmente, deixou muito a desejar. Mas gosto de fazer ecografias com ela por sua sensibilidade.
Só uma coisinha me incomodou...
Outro dia, li em algum lugar, que para a medição folicular ser bem feita, esta tem que ser em formato de cruz. Prestei atenção que a de hoje, feita pela Dra. foi só um traço diagonal.
Como eu já havia pedido uma indicação de clínica de ultrassom para a querida Janaína, tentarei fazer com o profissional que ela me passou. Acho até que foi ela que me falou sobre essa questão da medição em cruz. Jana, foi você não foi?!
 
Pois bem, o laudo foi ótimo. Estamos com um bom número de folículos (não quero falar o total porque esse número pode mudar, mas prometo que depois da captação falo quantos tive, tá gente?!). O endométrio está fininho e normal para o estágio do ciclo.
Laudo enviado por e-mail ao IPGO, análise feita e resposta dada em menos de 2 horas.
Começaremos a indução hoje!!!
 
Viva!!!
 
Filho, estamos fazendo seu ninho!

domingo, 23 de fevereiro de 2014

O começo da vida, com fé em Deus!

Senta que é muita coisa pra contar...
Vamos dar uma volta pelo dia 10 de fevereiro. Nesse dia, meus pais viajaram para a cidade deles e por conta disso cheguei ao trabalho um pouco mais tarde. Mal liguei o computador, meu celular toca e era de São Paulo. IPGO! Nessa altura eu já saberia o número de cor...

A assistente do Dr. me explica que saíram os últimos resultados dos milhares de exames que fiz. E um deles tinha uma alteração. Era a biópsia de endométrio. As alterações foram em relação às Células NK. Vulgarmente falando, essas queridas (NK = natural killer) fazem parte do sistema imunológico e quando estão alteradas significa que não reconhecem alguns corpos no nosso útero, no caso os embriões... Então, há problema na implantação.

Taí a provável causa das falhas na nidação (ou a falta desta) nas outras duas FIV's, né?! - Perguntei.
Pode ser - disse ela.

Fiquei em silêncio por alguns segundos tentando respirar e ela disse: Não te preocupa! Isso é tratável!
Depois de me recompor e me segurar para não chorar (vcs sabem que eu tenho horror de chorar em público) soltei um OK bem fraquinho... Quase que nem mesmo eu pude ouvir...

Ela, muito gentilmente me acalmou e tentou me explicar as formas de tratamento para casos como o meu. Eu, obviamente não prestei muita atenção e pedi que ela me mandasse um e-mail explicando tudo. Sei lá porque eu não conseguia ficar ali escutando aquilo. Eu precisava respirar!

Recebi o e-mail bem rápido - adoro a atenção deles - e finalmente entendi o que deveria fazer...
Devido a essa alteração, terei que tomar corticóide ou um medicamento chamado Imunoglobulina Humana. O primeiro custa R$ 15,00 a caixa, o segundo custa por volta de R$1.000,00. Sim, não escrevi errado. Este remédio custa esse valor mesmo, CADA DOSE!

Caso optemos por usar desse último, que é injetável, foram indicadas 3 doses. Uma antes da transferência, outra com o positivo e a última com 12 semanas.

No sábado, dia 15 de fevereiro, fomos para a consulta de retorno.
Chegamos às 7:45 em SP e ficamos fazendo hora no aeroporto até as 10:00. Tomamos um café reforçado, pois sabíamos que o atendimento poderia demorar.
Às 10:40 estávamos na recepção da Clínica. Levamos um chá de cadeiras daqueles! Fomos atendidos ás 13:00. Mas valeu muito a pena. O Dr. nos tranquilizou, tirou nossas dúvidas e disse que minha alteração não é tão grave... Nos disse que não vê necessidade de tomar a injetável.
Mesmo assim, marido não quer correr risco de tomar um remédio ineficaz. Pelas pesquisas que fizemos, em alguns casos apenas o corticóide não é muito eficiente.

Decidida a estratégia para o tratamento e primeira dose de bloqueio tomada lá mesmo, fomos para o shopping com 3 isopores cheio de medicação de indução e bloqueio.

Almoçamos por lá, compramos uma mini sinuca, que era objeto desejo do marido desde a consulta anterior! ahahaha... Aproveitei e pedi duas sacolas gigantes da loja para esconder a logomarca da Clínica estampada na sacola que estava o isopor... Discrição pra mim é tudo, gente! rs

O nosso vôo de volta estava marcado para 19:45. Mas resolvemos voltar cedo para o Aeroporto porque eu estava com medo de não poder levar a medicação como bagagem de mão por causa da quantidade de agulhas.

E eu estava certa.
Na hora de passar no raio-x, o mocinho da Infraero (ou era da concessionária do aeroporto, nem lembro) perguntou se eu levava agulha na bagagem... Eu disse que sim. Ele pediu para que eu despachasse...

Nessa hora, deu vontade de chorar!
Fiz uma cara de coitada (pensa na cara do gato de botas do SHREK) que fez a outra mocinha querer me ajudar...
Desceu comigo até a Polícia Federal e explicou toda a situação para o Delegado de plantão... Que era medicação hormonal... Que eu precisava levar comigo por causa da refrigeração... Que o vôo era direto, sem escalas... Que o custo do medicamento era caro...
Acabou que o Delega perguntou: Quantas agulhas tá levando? Eu disse: Onze! Ele: Vai em PAZ!!!

Obrigada Jesus! Pensei... Mas agradeci verbalmente o delega mesmo! rs

Chegamos em casa mortos de cansados e só tive coragem mesmo de colocar a medicação na geladeira, tomar aquele banho e desmaiar na cama lá pelas 22:00h.

A outra saga foi esperar a menstruação descer. Olhe! A bicha atrasou uns 3 dias!!! Mas veio. Ontém à tarde, só pra me dar trabalho de marcar a primeira ultra (o que não consegui) e começar a tomar o indutor.
Terei que arriscar um encaixe e pedir até peloamordeDeus uma vaguinha para alguma das Clínicas especializadas... Essa transvaginal seriada é diferente daquela comum, por isso tem que ser feita em Clínica que trabalhe com FIV...

Amanhã começa a vida!

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Todo dia!

Ganhamos mais um espaço nosso!
Criei uma conta no Instagram!
Estarei lá todos os dias, mostrando pra vocês sobre a nossa saga, rumo à maternidade!

 
 
Vejo vocês por lá!

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

O amor tem endereço: Brasília.

Sou telespectadora assídua do Youtube e inscrita em uns 80 canais!!! Tenho até que me policiar e não perder horas a fio assistindo as atualizações... ahahahah Adoro!
 
Mas ontem não gostei de um vídeo, no qual a pessoa visitou Brasília e mostrou, de maneira perjorativa, os monumentos da Esplanada dos Ministérios. Como se aqui só vivessem políticos e servidores corruptos. Apesar de parcela mínima da Câmara dos Deputados e do Senado Federal ser composta por parlamentares do DF. Ou seja, a corrupção e a falta de ética não é só daqui (sem querer defender A ou B), em sua maioria é também importada dos outros estados da Federação... Enfim...
Não quero entrar nesse mérito, perderíamos muito tempo e esse blog é para falar da minha vida de tentante e não de geopolítica.

Brasília é mais, muito mais que isso!
 
Só para lembrar: não nasci aqui.

Passei minha infância e adolescência em outro estado. Mas vivo aqui desde os 18 anos, quando vim fazer vestibular. O plano era voltar despois da minha formatura, mas conheci meu marido no primeiro semestre da faculdade de Arquitetura e Urbanismo, em 2001. Resolvi ficar e meus pais, tão logo se aposentem, estarão aqui também.

Estamos passando por uma onda de violência, mas acho que esse não é um problema exclusivo daqui.
 
Ainda assim, queria listar 15 motivos para amar Brasília*, apesar dos pesares.
 
1 - Apesar das distâncias, Brasília é um ovo! Se você não conhece fulano, com certeza você conhece cicrano, que conhece fulano. Principalmente nas Asas;
2 - Ainda dirigimos com o vidro do carro aberto;
3 - O endereçamento tem clareza matemática e rapidinho você aprende a se localizar na cidade. Não se assuste se alguém falar pra você que te conhece da 10. Pode ser da Norte ou da Sul, mas você vai saber do que se trata.
4 - Ir ao Gilberto, não é visitar uma pessoa (alguém já citou isso, mas não lembro quem), é ir a um lugar.
5 - Normal andar de camelo e não é o bicho. Quem aí já ouviu "Eduardo e Mônica"?
6 -  Não temos mar, mas temos o Lago Paranoá. E, pode crer, nossa frota náutica só perde para o Eixo Rio/SP.
7 -  Podemos ver o pôr-do-sol de inúmeros lugares. O mais bonito, pra mim, é da Praça do Cruzeiro, pertinho do Memorial JK. Cinematográfico!
8 -  A maioria dos monumentos tem entrada gratuita. Caso você não queira ou não tenha tempo de visitá-las, só pela edificação já vale o passeio.
9 -  A vista da Esplanada, pela Plataforma da Rodoviária, ao lado do antigo Turing. Linda!
10 - Não temos Carnaval (há controvérsias, BabyDoll de Nylon tá quase aí na pista... rs) mas temos Festas Juninas. Sim, muuuuuuuuuitas! Em vários colégios, clubes e ruas sem saída!
11 - Quase todo mundo respeita a faixa de pedestre. Quase mesmo!
12 - Fique tranquilo em fazer sua reforma ou praticar seu esporte ao ar livre, entre julho e setembro. Raramente chove.
13 -  Sábado, à tarde, no Pontão! Mesmo que você não tenha barco e nem frequente os bares. Admirar a paisagem e se refrescar com o ventinho é um ótimo passatempo (inclusive sozinho). E não é sou só eu que acha isso não, viu?! Lota!!!
14 -  Falar com o rosto colado nas paredes curvas da Catedral Metropolitana. Há metros de distância, o som chegará firme e claro. A Catedral Dom Bosco e a Igrejinha também são roteiros imperdíveis, pela beleza arquitetônica.
15 - Na sua quadra não há apenas uma farmácia, mas também, perfumaria, mercadinho ou mercadão, lojas de roupas, bares, laboratórios, escritórios, cabelereiro (milhares), academias. Há um comércio local em quase todas elas (as quadras).

Você pode até não gostar daqui, de jeito nenhum, mas certamente, não encontrará outro lugar igual a esse!

*Lista personalíssima e essencialmente focada no que tem de bom. Prefiro falar, por hoje, das qualidades.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Reenvio

Prezada Cegonha,

Como andam as encomendas?

Sei da sua falta de tempo e apreço pelo bom atendimento de pedidos mais antigos que o meu. Mas queria te lembrar do nosso bate-papo, via sonho meu, que eu ainda estou aqui. Pacientemente te esperando. Ou melhor esperando por vocês... Quando vier, traga nosso filhote.

Marido está, agora, mais ansioso que nunca. Sua sobrinha nasceu e ele se desmancha todo quando a visita. O despertar do seu relógio emocional paterno está em último volume.

Por isso, venho aqui lhe pedir novamente. Sem rodeios!

Por gentileza, agiliza nossa entrega!

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Cilada - remédio sem prescrição.

Tenho visto, pelos grupos do Facebook, muitas meninas dizendo que estão tomando medicação X ou Y, sem prescrição médica.

Gente, deixa eu contar uma coisa pra vocês...

Em abril, do ano passado, quando eu estava muito tristinha por conta da IA mal sucedida, pesquisei em alguns blogs e vi que uma medicação natural fazia muito sucesso no estímulo/qualidade de ovulação.

Resolvi comprar a tal medicação e tomei durante uns 20 dias. Nesse intervalo de tempo tive que fazer um US e descobri que estava com um cisto funcional. Naquele dia, eu nem sabia o que era isso. Saí da Clínica preocupada e antes de levar o resultado para o meu médico, voltei ao trabalho e pesquisei sobre os resultados do meu laudo. Vi que, provavelmente, aquilo era um folículo que não rompeu e seria expelido com a minha menstruação, ou não.

Apesar de não ter contado isso por aqui (até porque este blog só foi criado um tempinho depois), usei a medicação sem prescrição médica, mesmo sendo natural, tive uma baita dor de cabeça. Pra quê? Pra me deixar uns 3 dias cheia de caraminholas na cabeça...

Depois do ciclo seguinte fiz outra US e estava tudo normal, sem cisto. Ainda bem! Mas podia ter acontecido outras coisas que poderiam atrapalhar a minha vida de tentante.

Portanto, garotas lindas do meu Brasil, não façam isso que eu fiz!
Procurem conhecer os vossos corpos e trabalhem apenas com a alimentação balanceada, atividade física regular e se, ainda assim, optarem por alguma ajudinha medicamentosa, perguntem ao seu médico de confiança, ok?!