Pesquisar nas cartas

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Como viver sem filhos... ainda.

Mudei!
Cortei mais ainda meu cabelo e mudei a cor.
Pode ser uma coisa super banal pra vc que me ler agora... Mas isso tem um significado tão grande pra mim, e só me dei conta disso quando o fiz!

Todas vocês sabem a dor de um negativo... Ou pelo menos já viram meus desabafos por aqui.
Eu fico bem derrubadinha... Choro, fico triste e sem vontade de fazer nada. Por uns 3 dias... Depois passa e volto a sonhar...

Nessa última vez, eu não só voltei a sonhar como voltei a viver também.
Assumi o meu descontrole total sobre o chegada do meu filho e aceitei esperar em Deus.

Não gente, o processo não foi fácil. O fato de escrever em duas linhas não condiz com a luta que foi chegar nesse nível de pensamento e sentimento.
Não é segredo tudo que passei, tá escrito aqui, numas páginas para trás, pra quem quiser ler. São uns dois anos de coragem de botar tudo pra fora, mesmo que anonimamente. Fora o anos de silêncio, só eu e o chuveiro. Tenho esse costume bizarro de refletir sobre a minha vida e tomar decisões durante o banho...
Mas aconteceu tudinho... Do jeito que eu escrevi! Vocês não conhecem o meu rosto, mas eu sou real e tudo foi muito dolorido de verdade.

Mas ESCOLHI não reclamar, não olhar para trás, não contar ciclos, não planejar com precisão de detalhes...

E estou seguindo nesse plano... De viver a minha realidade. Lógico, sem desistir do que eu mais quero. Vou vivendo tudo junto, sabe?!
De repente, a vida voltou a andar, a ter sabor e a ter alegria...
A sequência veio de dentro pra fora. Eu tomei posse das bençãos que já tenho para projetar o meu futuro sem amarras, sem medo e com muita confiança.

Pela primeira vez, em 3 anos, curti o Carnaval sem lamentar (já falei isso no insta), comprei meia dúzia de roupas acinturadas e justas sem achar que daqui a 1 mês elas estariam perdidas por uma possível gravidez (só comprava roupa folgada que não definia meu corpo pensando no barrigón que viria), não pintava o cabelo por causa da falta de manutenção que iria me deixar com um cabelo bicolor (nos primeiros meses, grávidas não podem pintar o cabelo) e também não cortava (grávida fica com o rosto gordinho, tem que ter cabelo grande)... Pois é! Doida!

Resumindo: minha vida tava amarrada a uma realidade que ainda não era minha.

E isso é muito ruim... É triste... É frustante...

E não resolve nada!

Então, se você está passando por isso... Pare e pense.

Espere em Deus, mas acima de tudo... Viva!

Seja feliz hoje!

O sonho vai rolar! Vai sim!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Reflexões do segundo turno

Minha ajudante do lar pediu as contas há umas 3 semanas... Desde então, estou dividindo as tarefas domésticas com maridone. Confesso que gosto muito de cuidar pessoalmente da minha casa, se não fosse o cansaço, juro que ficava assim...
Pois bem, ontem, lavando a louça do jantar, fiquei pensando...
Ainda deve ter muita coisa a aprender antes da chegada do meu filho... Por isso, essa longa caminhada!
Eu era uma pessoa tão diferente de quando tudo começou...
Nossa luta trouxe tantas coisas boas junto! A vida tem outro sabor, as prioridades mudaram e o que importa faz tão mais sentido...

Sabe o ditado:

Minha vida tá do lado avesso, mas pode ser que esse seja o lado certo! O lado que Deus queria pra mim!


quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Minha 5ª Fertilização In Vitro - Parte Final

Restabelecida do meu baque desses últimos dois dias, volto para contar a vocês que ainda não foi dessa vez!

Minha 5ª FIV foi cancelada antes da transferência dos meus embriões... Novamente!
Lembram que isso aconteceu ano passado, na minha primeira tentativa no IPGO (e terceira da minha vida)?

Com simplicidade, explico:
Esperávamos que os embriões chegassem ao 5º dia...Eles pararam o desenvolvimento no 4º dia...

Nem cheguei a fazer a TEC, portanto.

Foi isso.

Quando me recompor, volto!