Pesquisar nas cartas

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Minha 5ª Fertilização In Vitro - Parte Final

Restabelecida do meu baque desses últimos dois dias, volto para contar a vocês que ainda não foi dessa vez!

Minha 5ª FIV foi cancelada antes da transferência dos meus embriões... Novamente!
Lembram que isso aconteceu ano passado, na minha primeira tentativa no IPGO (e terceira da minha vida)?

Com simplicidade, explico:
Esperávamos que os embriões chegassem ao 5º dia...Eles pararam o desenvolvimento no 4º dia...

Nem cheguei a fazer a TEC, portanto.

Foi isso.

Quando me recompor, volto!

8 comentários:

  1. Quando tudo parece perdido, Deus tem a solução.

    http://projetonossobebe.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Você é uma guerreira! E uma guerreira pode até perder uma batalha, mas não perde a guerra.
    No fim, você irá olhar para trás e sentirá que tudo valeu a pena. Estou torcendo muito por você.
    Deus tem seu tempo.

    Mom
    http://aguardandodestino.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá amiga. Eu sinto muito!
    Como deve ter visto, eu tambem sumi do blog e o que hoje que toda a tempestade passou, o que posso te dizer é: entendo a sua dor. Também nadei e morri na praia, fiz a captação e nenhum, SIM nenhum óvulo fertilizou! Me revoltei, descabelei, chorei por 7 dias, me revoltei contra Deus, pensei em adoção, e hoje 3 semanas depois estou em paz. Dei um tempo para mim, vou viajar, fazer a lua de mel que sempre sonhei com meu marido, vou descansar. E em março retorno a batalha.
    O que posso te dizer é CHORE! tudo o que precisar, se revolte, grite! Faz parte, e no fim uma paz vai acalentar seu coração, e estará pronta novamente para a batalha. Pq essa batalha sei que vamos ganhar!!!!! Vamos conseguir nossos positivos, existe um PQ para tudo isso, existe sim! Eu acredito.

    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  4. MMaria lamento muito que você, assim como eu, tenha perdido mais uma batalha, mas a guerra continua e ela só termina quando nós duas tivermos nossos filhos em nossos braços! Deus está contemplando o nosso sofrimento e ele há de se levantar do seu trono e decretar a nossa vitória! Ao seu tempo e de seu modo ele irá converter o nosso pranto em soluços de alegria! Que o Senhor traga alívio a tua dor, restaure as suas forças, renove a sua esperança e te envolva em seu manto de amor para que você encontre a paz que seu coração necessita!

    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  5. Que Deus conforte sua dor, e te erga logo para que possa continuar lutando. Pois, creio que sua vitória chegará.
    Boa Sorte!

    ResponderExcluir
  6. Maria estou na luta tambem ... fiz uma FIV e nao deu certo tambem.
    Tentante de carteirinha como se diz... a 6 anos.
    Que Deus nos abençoe e que nosso positivo venha logo, te entendo perfeitamente em tudo pois conheço essa luta, não é nada facil...
    tenho um blog deem uma olhadinha http://treinantefuturamamae.blogspot.com.br/ lá conto minha historia.
    Um beijaooo a todas voces meninas...
    Que Deus nos atenda e realize nosso sonho.

    ResponderExcluir
  7. Escrevo este relato pois acho que poderá, em alguma ocasião auxiliar a alguém que esteja confuso ou ansioso, como um dia eu e minha esposa estivemos.

    Logo no início, quando pensamos em ter um filho, a primeira coisa que fizemos foi um grande check-up. O ginecologista de minha esposa detectou uma variação sensível em seu hormônio FSH. Diretamente, nos indicou 3 clínicas de especialistas em reprodução assistida, entre elas a IBBRA - Instituto Brasileiro de Reprodução Assistida-IBRRA.

    Lá questionamos se o fato da alteração hormonal poderia ter se dado pelo fato de minha esposa ter retirado um dos ovários quando tinha 20 anos, por conta de um cisto. O dr. Bruno Augusto Brun Scheffer nos disse que era sem chances, pois o ovário que ficou assumiria plenamente as funções do outro.

    O dr. Bruno Augusto Brun Scheffer ainda nos mostrou, através de estatísticas e porcentagem que a probabilidade de engravidarmos naturalmente era basicamente nula...

    Durante a consulta ouvimos muitas piadas sobre o nosso estado de ansiedade, principalmente sobre o meu. Após todas as perguntas que eu fazia, relacionadas ao processo / procedimentos sugeridos por ele (FIV), ele me perguntava: você é ansioso? Era óbvio, que naquela situação, estávamos preocupados e ansiosos.

    Logo que finalizou esta primeira consulta, imediatamente sugeriu que aguardassemos na sala ao lado onde a gerente financeira já iniciou suas explicações sobre custos, parcelamentos, etc, etc. Achamos tudo: money, money, money! Como diz o próprio dr. Bruno Scheffer.

    Desta forma, para "confirmar" a infertilidade, ele solicitou um exame de Hormônio Anti-Mülleriano. Segundo ele, era 99,9% de chance de dar um valor baixo, o que sugeriria irmos diretamente, e com pressa, para um tratamento FIV (Fertilização in Vitro).

    Fato é que o resultado do exame foi regular. Por telefone, para minha esposa, ele não mudou em nada sua postura, sugeriu mantermos o mesmo planejamento de realizar uma FIV, uma vez que a mulher nasce com um determinado número de óvulos e que estaríamos "correndo contra o tempo".

    Pensamos, ora, se minha esposa tem 32 anos. Cada ano 12 meses, já são, portanto 384 meses de vida... Decidimos, portanto, nos dar o prazo de pelo menos 3 meses para engravidar naturalmente.

    Para nossa surpresa, fomos abençoados e conseguirmos engravidar naturalmente na primeira tentativa.

    Fato é que ficou aquele desconforto com relação à clínica e à maneira com que o dr. Bruno conduziu o processo. Imagino que se não fossemos abençoados no primeiro mês, e talvez no quarto... tivéssemos tomado alguma atitude precipitada ou deixaríamos de acreditar na possibilidade de uma fecundação natural.

    Acredito que cada um deva avaliar os riscos envolvidos em seu caso, porém, pensar em paz, sem pressão e dar tempo ao tempo.

    Renato Amorim.

    ResponderExcluir