Pesquisar nas cartas

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Sacudindo a poeira

Os dias vão passando e a vamos acostumando e nos adaptando a uma nova realidade...
Aos poucos, a vida vai voltando ao normal, como tem que ser!
Meu pequeno cumpriu sua missão nesse pouco tempo que ficou em meu ventre...
Pude rever muitas prioridades e as reflexões continuam...

A vontade de tentar novamente vem chegando e planos vão sendo delineados. Deus vai agindo no meu silêncio e daqui a pouco consigo seguir em frente.

Por hora, tenho que emagrecer os quilinhos ganhos e retomar o meu trabalho e as minha rotina.

Maridone também está bem melhor, graças a Deus!

Queria também agradecer as mensagens queridas de vocês!
Muito obrigada!


quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Os últimos meses

Quanto tempo, não?!

Hoje tenho uma história para contar. Sobre os últimos meses...

Meu último post foi sobre o dia das mães e eu tinha planejado fazer outro no dia dos pais - Sim, o sumiço foi proposital. Não foi possível e ao longo das linhas você entenderá porquê.

Em meados de maio, logo após o dia das mães, comecei a preparar o meu corpo para a minha 6.ª Fertilização In Vitro.
Foi uma época de muitas dúvidas, medo e resolvemos que dessa vez não contaríamos para ninguém. E assim fizemos. Passamos por todo aquele processo, já conhecido da gente. Acho que não preciso explicar... INDUÇÃO > CAPTAÇÃO > FERTILIZAÇÃO > DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO > TRANSFERÊNCIA.

Nós optamos por congelar apenas os embriões excedentes e transferir a fresco. Isso quer dizer que o tratamento todo durou por volta de 20 dias. Foram aspirados 10 folículos, fertilizados 8 e continuaram a se desenvolver 4... 
No 5º dia transferimos 2 blastocistos e ficaram 2 para serem congelados de 6 dias...
Infelizmente, eles pararam o desenvolvimento e não pudemos congelar esses dois que sobraram.

Minha transferência foi no dia 2 de junho e o BetaHCG marcado para o dia 12 de junho...
Foram dias de muita tranquilidade, bem diferente das outras FIV's! Estávamos seguros e eu, pela primeira vez sentia que estava dando certo. O sonho estava se realizando!

O dia 12 é um dia bem significativo pra mim, vocês sabem... Dia de Nossa Senhora! Não tinha data melhor para fazer o Beta.

O dia tão esperado chegou e fomos ao laboratório meio tensos mas com aquela esperança gostosa no coração.

Às 15h desse mesmo dia recebemos a notícia mais aguardada e emocionante dos últimos anos!

Sim, meu filho estava lá! O Beta não foi dos maiores... Mas era o meu positivo!!!
Quanta felicidade, quanta alegria!
Jamais esquecerei aquele dia! Jamais!

Eu havia prometido a Nossa Senhora que se engravidasse dessa FIV, só contaríamos para a família e amigos próximos depois das 12 semanas... Já adianto que foi extremamente difícil concluir essa missão... Quase impossível! Descobrimos que tem muita gente que ora por nossa felicidade em silêncio.

Ao longo das primeiras semanas tive alguns episódios de sangramento e um dia fui parar num pronto socorro por causa disso... Em todos os episódios, nosso filho estava lá se desenvolvendo e com o coração batendo forte!

Perto de completarmos 12 semanas, foi aniversário de meu maridone e escolhemos essa data para contar para nossa família... Gente, foi um dia muito muito muito feliz! Foi muito chororô, muitos gritinhos e mãos na minha barriga (achei que iria repelir esse tipo de carinho, mas adorei), muita gente feliz com nossa felicidade!

Na semana seguinte foi nossa primeira morfológica. 
Aqueles episódios de borra escura insistiam em me assombrar, mas os exames e ecografias mostravam que nosso filho tinha saúde e estava bem.

Chegamos cedo ao consultório e o nosso médico brincou conosco, falou que seria um exame tranquilo, nos explicou para que serve essa ecografia morfológica, falou de futebol com maridone e pediu para eu deitar na maca de exame...

Esse foi o último exame que fizemos...

Nessa hora descobrimos que nosso filho estava quietinho, sem se mexer, sem batimentos. Sem vida.

Esse foi nosso último dia de felicidade.

Aconteceu há 2 semanas, a três dias do dia dos pais.

Eu queria muito ter vindo aqui e falar o quanto esse dia dos pais foi especial e cheio de alegria... Mas não foi.

Sem revolta, sem mágoas... Apenas fazendo uma constatação...

Esse dia dos pais conseguiu ser pior do que o dia das mães.

Estou aqui escrevendo isso e com meu coração apertadinho... Precisava dividir com as minhas leitoras que não me acompanham no instagram (contei por lá esses dias) tudo o que nos aconteceu.

A fase de desespero passou, restou agora muita tristeza e um pedido enorme a Deus para iluminar nosso caminho.

Post pesado, mas eu tinha que contar...

P.S.: Mudei o layout e coloquei umas flores para ver se a vibe melhora... E essa da foto, sou eu.

Volto quando estiver melhor!